Crônicas, Contos e Poesias

Por Cica Carvalho

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Piano bar

O gim desce queimando, com uma careta ela devolve o copo na mesa, sua cabeça já pesada, por outros tantos goles, seus pensamentos contorcidos, cai para trás levando seu corpo ao encosto da cadeira. Seu olhar como um voo de gaivota dá um rasante. Raio x desenhado na mente. As mesas estão vazias, nenhum jogador, nenhum estalo de bola.
O salão é grande com mesas em volta da pista, um pianista embala a noite, está escuro e algumas pessoas dançam. 
Catarina pensa em dançar, tateia em busca do copo enquanto observa ele. Num só gole vira a metade que restava. A essa altura Catarina não sabe mais qual o melhor caminho para se aproximar.
Ela acende um cigarro, usa uma elegante cigarrilha e investe num longo olhar revelador, mas a imagem completa do outro a paralisa. Desconcertada ela desvia, percebe que perdeu a chance, frustrada vira outro copo de gim.
Devidamente anestesiada e encorajada, quase cambaleando ela vai para a pista.
Ensaia alguns passos, os fáceis que não requerem grande equilíbrio, a música é envolvente e ele logo se aproxima e a tira para dançar. De olhos fechados para não se trair ela se deixa levar, como no cinema. Rodopiam pelo salão como se estivessem sozinhos. Os olhos fechados, o cheiro da pele, o contato direto, o coração batendo forte. Ela sente a sua respiração.
Catarina é viúva, quase bonita, traz no seu olhar o mistério de sua vida sofrida.
Eles dançam a noite inteira sem trocar uma palavra. No final da noite, o lápis borrado, o batom vermelho denunciando os vincos de sua boca, ela se olha no pequeno espelho, assustada tira o cravo vermelho murcho do seu cabelo, pega a sua bolsa e vai embora.

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Escrever


Escrever é um estado de espírito,
Escrever é a fala da alma,
emocionalmente inspirada
Escrever é transcender os limites da razão,
do concreto, do palpável,
é surfar na raiz da emoção
Escrever é buscar palavras
que traduzem sensações,
pensamentos,
quase sempre compassados,
prontos como um raio
Escrever é publicar pensamentos,
eles adoram me trair
Escrever é morrer de rir
ou me molhar de tanto chorar
Escrever é um respiro do turbilhão de pensamentos,
de imagens, de vidas que passam,
e que me levam por alguns momentos
de extremo prazer a criar!

terça-feira, 7 de setembro de 2010

Palavras ao vento

Assim como o branco
é a presença de todas as cores
O silêncio é a pausa de todos os suspiros,
é a presença de grandes e profundos pensamentos,
É um grito desesperado e imperceptível.
Dá até medo.

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

Downtown


As noites eram quentes, 
o ar seco e pesado sufocava, 
ela não conseguia dormir. 
O corpo aparentemente inerte, transversal, 
ocupava toda a cama, 
um misto de vazio com uma tremenda fome 
que nunca passa de sabe-se lá o quê?! 
Lá embaixo, 
longe de sua concha a cidade ferve, 
bares, boites, clubes, 
álcool e cigarro, 
risadas abafadas entre murmúrios, 
buzinas, brigas,
o grito de uma puta por socorro. 
A noite parece sem fim...
Ela vira pro lado, sem espectador,
sem luz, sem foco, 
sem graça, 
e até tenta dormir. 
Afofa o travesseiro, suspira, 
sem sucesso continua olhando para o teto.

Foto da Web.