Crônicas, Contos e Poesias

Por Cica Carvalho

domingo, 9 de agosto de 2009

Homenagem ao Zé do Caixão


Inútil túmulo
Nenhum cúmplice
Múmia peituda
No fundo, a Lua

Profundo escuro
Último subúrbio
Na catacumba do túmulo
A múmia fecunda

De túnica fúnebre
Música de espelunca
A múmia cornuda
Assusta Raimundo

Contudo, o ilustre defunto
De capuz, do furto
Rumo ao obscuro
O nunca e a luxúria

Húmus, lúpulo e fungo
Exu, belzebu, urubu
Na catacumba Raimundo nu
Assume sua angústia

Aliteração em U, repare que a tendência é ficar fúnebre! Influência do som U.

Foto: da Web.

2 comentários:

  1. Cica,

    que bom que conheceu meu blog! Na verdade não sei qual deles, mas tudo bem!
    O seu é muito bom, e já sou seu SEGUIDOR!
    Volte mais vezes!
    Não sei se sabe, trabalhei como assistente de direção do Ozualdo Candeias, num filme cuja trilogia era dividida com o Zé do caixão, e com o Person!

    Bs e apareça!

    ResponderExcluir
  2. Eba, ebaaa!!!
    Estou acompanhando o Varal Cultural!!
    Que legal que trabalhou com o Person!!!
    Essa poesia, eu fiz uma lista de 50 palavras com a sílaba forte em U, e depois montei, é a técnica que usamos, a preocupação está mais no som do que no significado,
    beijoo, adorei que é um seguidor!
    Uma honra!

    ResponderExcluir