Crônicas, Contos e Poesias

Por Cica Carvalho

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Piano bar

O gim desce queimando, com uma careta ela devolve o copo na mesa, sua cabeça já pesada, por outros tantos goles, seus pensamentos contorcidos, cai para trás levando seu corpo ao encosto da cadeira. Seu olhar como um voo de gaivota dá um rasante. Raio x desenhado na mente. As mesas estão vazias, nenhum jogador, nenhum estalo de bola.
O salão é grande com mesas em volta da pista, um pianista embala a noite, está escuro e algumas pessoas dançam. 
Catarina pensa em dançar, tateia em busca do copo enquanto observa ele. Num só gole vira a metade que restava. A essa altura Catarina não sabe mais qual o melhor caminho para se aproximar.
Ela acende um cigarro, usa uma elegante cigarrilha e investe num longo olhar revelador, mas a imagem completa do outro a paralisa. Desconcertada ela desvia, percebe que perdeu a chance, frustrada vira outro copo de gim.
Devidamente anestesiada e encorajada, quase cambaleando ela vai para a pista.
Ensaia alguns passos, os fáceis que não requerem grande equilíbrio, a música é envolvente e ele logo se aproxima e a tira para dançar. De olhos fechados para não se trair ela se deixa levar, como no cinema. Rodopiam pelo salão como se estivessem sozinhos. Os olhos fechados, o cheiro da pele, o contato direto, o coração batendo forte. Ela sente a sua respiração.
Catarina é viúva, quase bonita, traz no seu olhar o mistério de sua vida sofrida.
Eles dançam a noite inteira sem trocar uma palavra. No final da noite, o lápis borrado, o batom vermelho denunciando os vincos de sua boca, ela se olha no pequeno espelho, assustada tira o cravo vermelho murcho do seu cabelo, pega a sua bolsa e vai embora.

Um comentário:

  1. ADOREI!!!! Vc é muito boa!
    Eu, como leitor-ator visualizo as imagens que vc descreve e entro em seu mundo poético extremamente real, bonito e decadente... Quero ler mais e mais... DO CARALHO!!!

    ResponderExcluir