Crônicas, Contos e Poesias

Por Cica Carvalho

domingo, 9 de agosto de 2009

Paranóia de Penélope

Paranóia presa
Pula Pacaembu para Parati
Penélope pensa
Pupila preta perpétua
Pura percepção
Se péla de paúra da prisão
Sem compensação espera a panela
Perfumada de temperos
Pira no tapete persa
Perto da parede
Perereca piolha
Piolha minha panela
Pensa que pode me despistar
Pressinto o impossível
O professor pediu para parar


Aliteração em P, 10 min de criação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário